sexta-feira, 22 de setembro de 2017

EXPRESSÕES VIRTUAIS

Hoje a forma mais usual de nos comunicar é através das ferramentas virtuais. E as redes sociais são o meio rápido de expor nossas ideias e demonstrar nossos sentimentos de tristeza, alegria, raiva, entre outros. Quando os amigos estão de aniversário o ‘face’ nos lembra e, obrigatoriamente,  deixamos o recado de felicitações na sua página, com cartão, flores e até bolo. Quando se perde um ente querido, troca-se a foto de rosto da página virtual para um olho escuro com uma lágrima e a palavra ‘luto’.  Isto já desperta curiosidade e comoção na nossa rede. Resumimos nossas sensações através da expressão de um Emoticon ou Emoji. O termo emoticon é a aglutinação de duas palavras inglesas: emotion (emoção) e icon (ícone), e consiste na utilização de caracteres gráficos para representar emoções humanas. Eles servem para expressar emoções, o que se dá essencialmente por meio de caracteres tipográficos. Emoji é de origem japonesa e é considerado um pictograma, ou seja, uma imagem que transmite a ideia de uma palavra ou frase completa. Da mesma forma que o pesar, manifestamos uma felicidade ou gargalhada com o emoji chorando de rir; ou raiva com a carinha do ‘grrrrr’; tudo certo com o polegar para cima, que simboliza a aprovação ou consentimento de uma ideia ou opinião partilhada.
Pensando em tudo isso, me veio à mente o quanto estão abreviadas nossas manifestações de sentimentos. Há poucos dias morreu uma pessoa que teve um significado muito grande na minha vida, e tudo o que fiz foi postar um emoji de lágrima no espaço reservado aos comentários no post da notícia. Senti-me pequena, ínfima, de afeto reduzido.
Embora cada uma destas figurinhas tenha uma enorme carga de sentimento, nunca equivalerá ao abraço, beijo, aperto de mão, ao toque da pele. Mas as carinhas ganham cada vez mais importância na comunicação diária, tornando-se uma espécie de linguagem global. Será que chegaremos ao tempo que voltaremos a nos comunicar apenas por imagens em vez de textos como no Egito antigo?
De qualquer forma as figurinhas são muito divertidas, e quanto mais expressivo o traço, maior é a intenção de sentimento que se quer representar na mensagem.
E na onda dos emojis quero dizer que 

todos vocês queridos leitores. 







sábado, 9 de setembro de 2017

FERIADO

Tudo é estável:
Os móveis na sala,
Os livros na estante.
Até os olhos do gato
Fixam-se no mesmo objeto.
Esta passividade das coisas,
Este silêncio de feriado
Pausando o murmúrio da rua,
Sossega também meu coração.
Aquieta minha mente,
Abraça minha solidão. 

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

PRELÚDIOS DE PRIMAVERA

Este friozinho de arrepiar a pele e pelos dos braços, misturado com o cheiro das amoreiras, jabuticabeiras e azaleias florescendo nos pátios, ruas e praças, só existe nas manhãs desta estação. Quando o sol abre e esquenta, mangas e mantas vão se despindo dos corpos. O fluxo urbano aumenta: pedestres caminhando, correndo, pedalando...  E a cidade vira um rebuliço! E quem acorda mais cedo apreciará com mais afinco os odores das manhãs ensaiando a próxima primavera. Aqui no sul temos esta variação de temperaturas que remodelam nosso humor, deixando nossas vidas mais cheias de graça.  E junto com os odores das flores e frutas, as manhãs nos brindam com o canto dos sabiás, bem-te-vis e outras espécies que fazem festa já tenteando acasalamentos. Coroando todos os cheiros está o do café passado, que sai das cafeterias e casas da vizinhança, cortando os ares, penetrando nas janelas escancaradas.
São belezas e pequenos prazeres que a vida nos oferece e que na maioria das vezes, por conta dos compromissos, da agenda lotada, da correria, passam discretos, sem nosso olhar mais atento. E o que passa, já foi. Só amanhã, talvez com sorte, teremos novamente uma manhã com cheiros, cantos, sabores e amores.
Se tiveres um tempo, pare, ouça e sinta, tome consciência. Porque se não estivermos atentos, a vida corre despercebida e este momento único não se recupera mais. Sinta tuas manhãs de forma insólita, porque depois de hoje tudo é possível: o canto pode silenciar, a amoreira e jabuticabeira secar, a azaleia murchar e o café esfriar...

É a graça que passa para todos.